segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Meus primeiros 5k

A história que eu vou contar é mais velha que o implante de silicone da Susana Vieira mas vamos lá.

Galera que acompanha o blog já leu meus lamentos e reclamações sobre atividade física aquiaquiaqui e, ufa, aqui.

Eu posso ficar dando desculpas até amanhã e vão ser sempre só isso: desculpas. O fato é que eu gosto de me considerar uma das últimas representantes do sedentarismo orgulhoso mas de uns tempos pra cá eu simplesmente não estava feliz - tava chateada com meu corpo, com minha falta de energia, de fôlego, enfim. Estava precisando me mexer.E como vocês podem observar nos links acima, fora esportes com bola (que são obviamente pouco recomendados para pessoas que usam óculos) e artes marciais (que não combinam com minha dificuldade de contato com gente que eu não conheço) só me sobrava uma coisa para tentar - corrida.

Na verdade eu já tinha tentado corrida muito tempo atrás, quando um ex-namorado formado em educação física cismou de me treinar. O namoro acabou, o treino também. Ficou a lembrança de que meu corpo responde lindamente à corrida e que não era uma coisa que eu achava tão abominável assim. Daí surgiu a ideia de, ao invés de correr por aí a esmo, estabelecer uma meta: participar de uma corrida de 5 quilômetros.

Eu sei que hoje em dia todo mundo é maratonista e com isso minha meta de 5k pode soar extremamente humilde, mas é um começo. Ter um objetivo me animou. Percebi que foi isso que sempre me faltou em toda a minha história com atividade física, já que eu nunca precisei, por exemplo, emagrecer.

Fiz o quarto treino hoje. Estou enfrentando essas manhãs geladas que tem feito em São Paulo com extrema dignidade. O prazo é 20 de outubro, quando rola uma corrida para a qual já me inscrevi, inclusive. Eu me conheço e sei que há grandes chances disso tudo ser só uma empolgação inicial e é por isso mesmo que estou contando pra todo mundo. Quando mais gente souber, mais vergonha eu vou ter de não cumprir.

Dia 21 de Outubro eu posto a medalha. Aguardem e confiem.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Sertinho

Só pra dizer que eu recebi um e-mail da receita federal dizendo que eu estava na malha fina e tals, e já estava em pânico achando que ia ter que pagar um milhão de reais pro governo. Daí namorado, que é muito mais inteligente que eu, disse:

"Qual é o e-mail do remetente? Porque eu duvido que a receita federal chame a malha fina de malha fina."

Fui olhar o e-mail: malhafina@receita.gov.br



Nada como conviver com gente esperta, né?

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Burrice level extreme

Olha.

Xará me entende. Só ela.

Porque a burrice, ela não tem limites.

Chefe foi convencido pela ONG de uma galerinha bem intencionada u-hu a contratar um estagiário estrangeiro pela bagatela de 2500 reais por mês. Eu que não sou besta nem nada vi logo que era fria porque nem a galerinha bem intencionada da ONG me garantiu que o tal estagiário seria nativo de língua inglesa ou espanhola, daí já viu. Eu coordeno uma escola de inglês, minha gente, vou fazer o que com uma criatura que não fala português nem é nativo do inglês 40 horas semanais? Não quis.

A equipe da outra escola do chefe quis. E ontem uma eslovaca muito simpática apareceu por lá depois de três horas de condução. Porque a outra escola do chefe fica no Itaim Paulista. Cês tem ideia de onde fica o Itaim Paulista? Ó, nem eu, só sei que é longe pra cacete. É extremo da zona Leste. Assim, muito extremo. É onde a definição de "quebrada" começa a deixar de fazer sentido porque lá nem quebrada é mais, é fim do mundo mesmo.

E vocês sabem onde a galerinha bem intencionada da ONG instalou a eslovaca?

No Brooklin.

O Brooklin é zona-sul-rica. Google maps vai me ajudar a mostrar pra vocês o que significa se deslocar do Brooklin ao Itaim Paulista de transporte público, lembrando sempre da lindeza que é o mesmo aqui em São Paulo:



Chefe questionou a ideia de jerico da galerinha bem intencionada da ONG de alojar a eslovaca do outro lado do planeta. Recebeu essa belíssima resposta:

"Ah, a gente achou que Itaim Bibi e Itaim Paulista era a mesma coisa."

A.mesma.coisa.

Agora chefe tá lá, com uma eslovaca que não vai conseguir cumprir 40 horas semanais por conta da burrice level extreme da nêga da ONG.

Tô quase dando nome dos caras aqui pra queimar o filme deles porque olha. Merecem, sim ou com certeza?