quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Depois que parei de tomar anticoncepcional minha vida tava um sossego só (mentira, tava meio deprê e cheia de espinhas) e eu não tinha mais TPM. Não tinha mesmo. Às vésperas da menstruação ao invés de desejar morte lenta e dolorosa ao cidadão que resolveu colocar crédito em 475 celulares diferentes no caixa do mini extra eu estava andando por aí parecendo o pequeno Wilber dos sobrinhos do Athayde (só idosos entenderão). Até essa semana.

Essa semana eu consegui me meter em duas tretas de internet no mesmo dia: uma com gente que acha que tudo bem proibir criança de frequentar restaurante e outra com azmagra que em todo post sobre as dificuldades das pessoas gordas aparecem lá para berrar: "AIN E AZMAGRA? AZMAGRA TAMBÉM SOFRE. AZMAGRA NÃO ACHAM ROUPA PP". Eu não vou discorrer sobre estes assuntos aqui porque já perdi muito tempo nas tretas fazendo isso, mas a moral da história é: cês tão tudo errado e eu tô certa.

E eu espero sinceramente que seja TPM mesmo pois deos me livre me tornar o tipo de pessoa que arranja treta na internet.


Euzinha esses dias (à esquerda, no caso)

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Precisamos falar sobre: filmes dos anos 80 que ninguém assistiu mas deveria

Na verdade é só um ~risos~. A Juliana pediu indicação de filmes dos anos 80/90 para passar para os alunos dela do sexto ano e obviamente abriu uma cratera sem fundo no twitter. Surgiram os clássicos, goonies, de volta para o futuro. labirinto, conta comigo, feitiço do tempo. E lá pelas tantas eu lembrei de um dos meus filmes preferidos dos anos 80 e que eu nunca ouço ninguém falar: Viagem Insólita.

Eu assisti Viagem Insólita dezenas de vezes quando era criança. Muitas mesmo. Cada vez que eu ia à locadora meu pai me olhava desanimado: "de novo esse?" Sim, de novo. Viagem Insólita conta a história de um militar que topa participar de um experimento para ser miniaturizado e inserido na corrente sanguínea de um coelho. Obviamente o experimento dá ruim e ele vai parar dentro do corpo de um cidadão completamente hipocondríaco e daí começa todo o perrengue pra sair de lá já que em breve o tenente ficará sem oxigênio. O filme é maravilhoso por muitos motivos e vou listá-los agora (lembrem-se que estou confiando no meu eu de 10 anos já que eu não assisti de novo depois de adulta, então me perdoem se vocês acharem uma bosta):

- Tem o Dennis Quaid xófem dando um caldo absurdo.
- Tem o Martin Short que era tipo o rei das comédias bestas nos anos 80.
- Tem a Meg Ryan porque a Meg Ryan estava em todos os filmes dos anos 80.
- Foi produzido pelo Spielberg.
- Tem efeitos especiais ótimos (pelo menos para a época, né?)
- É muito informativo sobre o corpo humano (pelo menos o meu eu de 10 anos achava né?)
- É uma mistura de ação, ficção científica, aventura e comédia daquelas que só os anos 80 conseguiram produzir.

Procurei no Netflix e infelizmente esta jóia do cinema de entretenimento não está lá, mas vocês são espertos, né? Vão dar um jeito de achar porque vale muito a pena.


Muito amor por esse VHS <3 i=""> 

sábado, 15 de outubro de 2016

31 perguntas para quebrar um silêncio constrangedor

Dos blogs da Ju e da Amanda. Porque todo garota dos anos 90 ama cadernos de perguntas

1. Você gosta de coentro ou acha que tem gosto de sabonete?
Eu amo coentro e irei protegê-lo

2. O que você acha de áudios do WhatsApp?
Só acho chato porque tem horas que eu não consigo ouvir já que vivo no ônibus (e não tenho fones de ouvido), ou em aula e tal. Mas reconheço a praticidade e as vezes a gente precisa ouvir a voz da pessoa sim

3. Você também comia o chocolate da Turma da Mônica pelas bordinhas?
Sim, acho que todo mundo fazia isso. 

4. Qual é a melhor consoante do alfabeto?
Gosto do X, em português eles tem tantas possibilidades hahaha

5. Qual é a primeira rede social que você vê de manhã?
Twitter

6. Você acha que existe alguma bala melhor que 7 Belo?
Não gosto de bala nenhuma

7. Que cor você acha menos confiável?
Se for para roupas, amarelo. Odeio amarelo. E acho marrom meio esquisitão também.

8. Qual foi o último filme que você viu e odiou?
Assisti "Ave César" dos Irmãos Coen e parece um filme feito assim num fim de semana. Achei bem ruim mesmo. 

9. Qual animal parece mais simpático, um pato ou um golfinho?
Patos, obviamento. Golfinhos não são confiáveis.

10. Toddy ou Nescau?
Não tomo nenhum dos dois há uns 20 anos. 

11. Você acha que bebês conversam uns com os outros?
Er... não. 

12. Sabia que todo mundo é feito de poeira de estrelas?
Bonito isso né? Você leu num livro? 

13. Ouro Branco ou Sonho de Valsa?
Ouro Branco. Chocolate branco é chocolate sim. 

14. Qual era seu desenho favorito na infância?
Muppet babies e o fantástico mundo de Bob.

15. Que série você jamais reveria?
Gilmore Girls. De gente adulta fazendo merda basta eu nessa vida.

16. Qual personagem do Harry Potter você menos gosta?
Eu não tenho referência nenhuma de Harry Potter, não li os livros, não vi os filmes. 

17. Qual é sua opinião sobre barrinhas de cereal?
Pedacinhos de papelão com açúcar. Não, obrigada. 

18. Com quem você dividiria um Bis?
Eu daria logo o Bis inteiro porque nem gosto de Bis. 

19. O que você faria se achasse R$ 50 na rua?
Colocaria na carteira e iria gastando conforme o necessário. Provavelmente créditos para o bilhete único.

20. Quanto tempo uma comida precisa estar na geladeira para você considerar ela velha?
Não confio no tempo, confio no cheiro.

21. Qual é seu número preferido?
5.

22. Qual é o aplicativo mais inútil do seu celular?
Meu celular tem 8G, portanto não posso me dar ao luxo de manter aplicativos inúteis hahaha

23. Quem você tiraria do elenco de “Friends” se fosse obrigado?
A Rachel, sem sombra de dúvida.

24. Você é contra ou a favor de comer macarrão com arroz?
Macarrão com arroz não sei mas lasanha com arroz é amor demais. 

25. Qual foi a última vez que você precisou usar a Fórmula de Bhaskara?
Não tenho a menor ideia.

26. Você acha que dá para morrer de overdose de rúcula?
Copiando a resposta da Amanda, tomara que não, porque eu amo rúcula.

27. Quanto tempo você levou para entender como funciona o Snapchat?
Nem tentei.

28. Qual é sua opção favorita no restaurante por quilo?
Feijão.

29. Você gosta de “Sorry” do Justin Bieber?
Adoro. E amo o clip também.

30. Você prefere passar muito frio ou muito calor?
Calor. Frio me deixa muito mal humorada. 

31. Você está dormindo e sobe uma barata na sua cara. Você prefere continuar dormindo e nunca saber ou acordar e fazer alguma coisa?
Continuar dormindo mas quase certeza que eu acordaria porque meu sono é absurdamente leve. 



Em homenagem aos anos 90: agenda da Pakalolo estrumbada de papel

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Como ser paulistano - curso básico

São Paulo definitivamente não é para principiantes. Outro dia eu estava lembrando do tempo em que circulavam por aqui umas vans de transporte clandestino, que andavam com a porta aberta e o cobrador de pochetinha gritando o itinerário a cada ponto que passava "PIQUERI FREGUESIA DO Ó PONTE DO LIMÃO". Isso foi em 2002 e eu brincava de Velozes e Furiosos São Paulo edition quase todo dia pra ir da USP até a casa da minha tia no Jardim Patente. O moço que trabalha aqui na escola riu e disse "Paula, lá na quebrada ainda tem". Pois é.

De vez em quando aparece carioca reclamando que paulistano é muito chato e caga regra até pra usar escada rolante (sim, aqui ficar parado no lado esquerdo da escada é pior que xingar a mãe), mas cês já viram a quantidade de gente que circula no metrô por aqui no horário de pico? Ou a gente bota regra na bagaça ou pelo menos um vai morrer por dia naquele mar de gente. É que quem vê de fora não tem noção do que é desembarcar na Luz e ter UMA escada rolante disponível para 832 mil pessoas saindo do trem ao mesmo tempo.

Eu só ando de trem uma vez por mês quando vou ao Morumbi levar os relatórios dos alunos particulares para a escola à qual eu presto serviço. Na última vez estava lá subindo as 9 mil escadas da estação Pinheiros (que é mais profunda que a minha fome 5 horas da tarde em dia frio) quando reparei nuns cartazes anunciando umas luzinhas do lado de fora dos vagões para avisar que eles estão lotados.

Sim.

Imaginem a reunião que deu origem a essa ideia maravilhosa:

"O povão está reclamando que o metrô é muito lotado, chefe."

"Aff, essa história de novo. Pobre reclama de tudo. Os trens são tão novinhos, tem lata de lixo pra tudo quando é lado, tudo limpinho, não tá bom já? Ainda querem conforto?"

"Talvez se a gente diminuísse o intervalo entre os trens..."

"E contratar mais condutores? Cadê orçamento pra isso? Cês acham que o dinheiro dá em árvores?"

"Expandir a rede com novas linhas, então, nem pensar..."

"VOCÊS ESTÃO LOUCOS? Estamos enrolando há anos com a linha laranja para parecer que estamos fazendo alguma coisa.  Não.tem.condições."

"Já sei, vamos colocar umas luzinhas nos vagões para indicar que eles estão lotados, daí o cidadão pode esperar passarem mais uns cinco até ele conseguir entrar."

"Essa ideia é muito imbecil, o cidadão não consegue enxergar que o trem está lotado?"

"Naaah, mas a gente vende como modernidade, inovação, benefício ao trabalhador. A gente coloca um código de cores pra ficar lúdico."

"Sei não..."

"E ainda dá pra superfaturar a instalação das luzes!"

"Aí sim heim! Podem fazer o orçamento!"

Pois é gente. São Paulo não é para principiantes.


Geraldinho rindo na cara do cidadão paulistano



terça-feira, 4 de outubro de 2016

The great big news

Então eu disse no post anterior que tinha uma novidadona pra contar mas que precisava de autorização porque ela envolve outra pessoas. Pois a autorização saiu e venho por meio desse post informar que virei tia! Após uma gestação de cerca de dois anos o processo de adoção da minha irmã saiu e a partir da semana que vem uma menina de oito anos terá um lar de verdade, uma mãe, um pai e um gato mal-humorado que esperaram demais por isso (o gato talvez não ~risos~).

A gente não tem ideia do que é uma adoção até estar envolvida com ela. Do quanto se investe emocionalmente no processo, do quão complicado parece às vezes. A gente ouve histórias lindas, outras tão difíceis. A gente acha que não vai dar. A gente descobre que na verdade tem mais gente querendo adotar do que crianças prontas para a adoção. E quando ela vem, do tamanho do cuidado que a gente tem que ter com tudo e como cada passo daquela criança em direção à família dela.

Minha irmã mora em Brasília e adoção tardia tem muitas regras de adaptação (há etapas a serem seguidas para apresentar a família, para ter gente dormindo em casa) então eu só vou conhecer minha sobrinha no natal, mas é impressionante como ela já muda  a percepção da gente sobre um milhão de coisas. Tô feliz demais por ter uma pessoinha tão esperada chegando na minha família.

2017 vai ser um ano especial para a família Foltran Borges, eu tenho certeza.

Seja bem vinda, Amanda, "aquela que deve ser ser amada". Tia Paula já providenciou seu primeiro All Star e sua primeira edição de Alice no País das Maravilhas.

(Esse é o símbolo da adoção - os lados do triângulo representam a criança, os pais adotivos e os pais biológicos, entrelaçados pelo coração que representa o amor. Não tem foto da Amanda porque eu acho que ainda não pode, mas acreditem, ela é linda de morrer. É alta e tem um cabelão cacheado daqueles que vai dar um afro maravilhoso no futuro, se ela quiser) 

Tá tudo devagar, tá tudo uma loucura

Tá tudo meio devagar mas tá tudo corrido pra caramba. Tá devagar porque não tem novidade (quer dizer, tem sim, novidadona, mas preciso de autorização pra contar). Tá corrido pra caramba porque peguei dois alunos particulares no período da manhã e agora oficialmente estou trabalhando das 8 às 8 e sábados. Fora que Outubro é sempre caótico com dia das crianças, dos professores, reunião de pais e Halloween, tudo pra eu organizar by myself with a little help from my team.

Sobre os alunos particulares: é aquela loteria e pode ser que você tenha que passar três horas por semana com um eleitor do Bolsonaro e tals, mas dessa vez eu dei sorte. Os dois tem mais ou menos a minha idade e são legais, conversadores, questionadores e inteligentes. Um é dono de uma empresa que desenvolve aplicativos de celular e o outro já fez seu primeiro milhão numa empresa de investimentos sem falar inglês. O legal de dar aula particular é essa possibilidade de conhecer gente tão fora do meu meio. Estas aulas particulares aliás, vão patrocinar minha segunda novidade (além da novidadona que assim que estiver autorizada eu volto pra contar): estou prestes a riscar mais um item da minha bucket list e levar minha mãe para a Itália no aniversário ela, em Março. Vai ser também minha chance de fazer as pazes com Roma, que me recebeu fria, chuvosa e lotada quando fui pra lá no começo de 2015. De lá os planos são Lisboa, que eu ainda não conheço. Tem tanta coisa pra planejar e tão pouco tempo, hotel, passaporte, translados. Minha primeira viagem planejada praticamente sozinha. A primeira viagem internacional da minha mãe. A vida é cheia de primeiras vezes e eu espero que essa seja linda (e que eu e dona Neide não nos matemos pelo caminho porque esse é nosso jeitinho de amar - se isso não é uma música do Raça Negra, deveria ser).

A parte boa é que dessa vez as fotos estão garantidas, já que fui procurar fotos minhas em Roma e achei um total de 0.


É esse o tipo de foto que eu tiro quando viajo, dsclp