segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Como ser paulistano - curso básico

São Paulo definitivamente não é para principiantes. Outro dia eu estava lembrando do tempo em que circulavam por aqui umas vans de transporte clandestino, que andavam com a porta aberta e o cobrador de pochetinha gritando o itinerário a cada ponto que passava "PIQUERI FREGUESIA DO Ó PONTE DO LIMÃO". Isso foi em 2002 e eu brincava de Velozes e Furiosos São Paulo edition quase todo dia pra ir da USP até a casa da minha tia no Jardim Patente. O moço que trabalha aqui na escola riu e disse "Paula, lá na quebrada ainda tem". Pois é.

De vez em quando aparece carioca reclamando que paulistano é muito chato e caga regra até pra usar escada rolante (sim, aqui ficar parado no lado esquerdo da escada é pior que xingar a mãe), mas cês já viram a quantidade de gente que circula no metrô por aqui no horário de pico? Ou a gente bota regra na bagaça ou pelo menos um vai morrer por dia naquele mar de gente. É que quem vê de fora não tem noção do que é desembarcar na Luz e ter UMA escada rolante disponível para 832 mil pessoas saindo do trem ao mesmo tempo.

Eu só ando de trem uma vez por mês quando vou ao Morumbi levar os relatórios dos alunos particulares para a escola à qual eu presto serviço. Na última vez estava lá subindo as 9 mil escadas da estação Pinheiros (que é mais profunda que a minha fome 5 horas da tarde em dia frio) quando reparei nuns cartazes anunciando umas luzinhas do lado de fora dos vagões para avisar que eles estão lotados.

Sim.

Imaginem a reunião que deu origem a essa ideia maravilhosa:

"O povão está reclamando que o metrô é muito lotado, chefe."

"Aff, essa história de novo. Pobre reclama de tudo. Os trens são tão novinhos, tem lata de lixo pra tudo quando é lado, tudo limpinho, não tá bom já? Ainda querem conforto?"

"Talvez se a gente diminuísse o intervalo entre os trens..."

"E contratar mais condutores? Cadê orçamento pra isso? Cês acham que o dinheiro dá em árvores?"

"Expandir a rede com novas linhas, então, nem pensar..."

"VOCÊS ESTÃO LOUCOS? Estamos enrolando há anos com a linha laranja para parecer que estamos fazendo alguma coisa.  Não.tem.condições."

"Já sei, vamos colocar umas luzinhas nos vagões para indicar que eles estão lotados, daí o cidadão pode esperar passarem mais uns cinco até ele conseguir entrar."

"Essa ideia é muito imbecil, o cidadão não consegue enxergar que o trem está lotado?"

"Naaah, mas a gente vende como modernidade, inovação, benefício ao trabalhador. A gente coloca um código de cores pra ficar lúdico."

"Sei não..."

"E ainda dá pra superfaturar a instalação das luzes!"

"Aí sim heim! Podem fazer o orçamento!"

Pois é gente. São Paulo não é para principiantes.


Geraldinho rindo na cara do cidadão paulistano



3 comentários:

  1. Ainda não vi esse advento das luzinhas!
    Só peguei trem na Luz em horário de pico uma vez na vida e olha.... OLHA!!!

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  2. A educação do paulistano é algo louvável. Fiquei impressionado quando em uma das primeiras visitas vi FILA em um ponto de ônibus próximo à estação anhagabaú do metrô em horário de pico. Na universidade onde leciono, o curso de arquitetura tentou organizar uma fila no ponto de ônibus... que decepção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha aqui gente faz a fila da fila no ponto de ônibus. Tem duas filas, uma pra quem quer ir sentado e uma pra quem não liga de ir de pé.

      Excluir