quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Mais uma do Jambalaia

Daí ontem teve o mais-aguardado-que-final-de-copa-do-mundo-Brasil-Argentina sorteio das vagas de estacionamento do Jambalaia. E eu fui naquele bom humor esperando muita polêmica, muita confusão (beijos Valeishka) e, com sorte, uma visita do Polícia 24 horas porque aquela turma gosta.

Pois é. Dei sorte e não dei. A sorte é que fui sorteada logo no começo, escolhi uma vaga relativamente boa (relativamente porque na verdade só existe UMA vaga boa mesmo naquele condomínio) e pude ir cedo para casa (porque naquele ritmo o negócio deve ter ido até duas da manhã). O azar foi que aparentemente meus vizinhos tomaram algum tipo de chá de educação e todo mundo se comportou. E eu, que estava preparada até para filmar algum barraco e ganhar milhares de views no youtube, fiquei chupando o dedo.

That's my life.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Da série perguntas idiotas, respostas cretinas

O condomínio onde eu moro, que chamarei aqui de Jambalaia, tem um grupo no facebook. E o grupo do Jambalaia é uma coisa tão maravilhosa que todo mundo deveria ter acesso a ele. Se bem que toda vez que eu passo por lá minha já escassa fé na humanidade diminui um pouco, então é melhor deixar quieto. Contentem-se com meus relatos:

Eu poderia falar da vizinha que filma quem grita na janela em dia de jogo para dedurar para a síndica e ainda vai bater no peito no grupo que foi ela mesma. Ou do cara que posta para reclamar que as luzes do elevador estão muito claras. Ou dos CAPS LOUCOS. Mas hoje vou me ater ao tópico de perguntas idiotas, respostas cretinas e lançar mais um desafio aos coleguinhas.

Galera discutindo a má educação do povo na piscina e tals. Fulana posta essa lindeza:

"POIS É, SE SE A PISCINA ESTÁ SEMPRE CHEIA, COMO É QUE VOU USAR?"

Algumas sugestões para a vizinha:

- Comprar uma cobertura duplex com piscina nos Jardins.
- Nadar de madrugada.
- Esperar chover para ir à piscina.
- Fazer cocô na piscina e esperar todo mundo sair correndo para se refrescar sossegada.

E vocês, coleguinhas? Podem sugerir alternativas para que nossa amiga use a piscina em paz?




terça-feira, 18 de setembro de 2012

O diário da bicicleta parte I

Descobri que o único, mas único mesmo, exercício físico que me dá prazer de verdade é pedalar. Qualquer investimento em outra modalidade vai ser dinheiro jogado fora, taí meu maiô e meus óculos de natação que não me deixam mentir.

Parênteses:
(Eu se que tem gente que gosta, mas como natação é chato. Chato, chato, chato, uma hora indo de um lado para o outro sem ver ninguém, sem ouvir uma musiquinha. A criança hiperativa dentro de mim não dá conta.)

Namorado então trouxe da casa dos pais a bicicleta dele e eu fiquei me perguntando de que jeito eu, a criatura mais cagona do universo, aquela que tem medo de banana boat, colocaria a magrelinha para circular no trânsito de São Paulo. Geral duvidou, mas enfim - vamos por partes.

Hoje foi o primeiro dia da Lola (é uma música do Mika, me deixa) em São Paulo. A levei para fazer compras pela Lapa de Baixo, que não é exatamente o que se pode chamar de "movimentada". Basicamente são ruas de mão única e uma ou outra de mão dupla mas com poucos carros. Em determinado momento, por um erro de cálculo (aka "coisas que você não presta atenção quando é pedestre") não consegui entrar na rua que precisava pois era contra-mão e fui obrigada a cair na Ermano Marchetti para fazer o retorno. Aí sim - carros, ônibus, motoqueiros Tá gente, foram só dois quarteirões e um sinal fechado, mas ainda, né? Lola se comportou muitíssimo bem assim como a moça que a guiava, não tive medo, prestei atenção a tudo e não fiz nenhuma merda. Parece pouco mas lembrem-se: estamos falando da pessoa que teve um ataque de pânico em um banana boat.

Próximo passo - atravessar o viaduto da Lapa para visitar a bicicletaria e comprar um selim novo que esse vai acabar me matando.

domingo, 16 de setembro de 2012

Ingressos comprados

Quem me conhece sabe que eu não sou dada a essas coxinhices nem a ficar esfregando minha alegria na cara dos outros, mas não tô me aguentando e vou fazer isso aqui no bloguinho que é mais ~reservado~que o facebook.

PUTA QUE O PARIU EU VOU VER O MIKA AO VIVO EM BARCELONA!



Ufa, passou. Beijos.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

DIA-DE-CONTAR-O-QUE-ESTAVA-FAZENDO-QUANDO-AS-TORRES-GÊMEAS-CAÍRAM

Eu já contei essa história no meu blog antigo, mas como ninguém leu vou reeditá-la aqui porque ela merece.

Hoje, como todo mundo sabe, é DIA-DE-CONTAR-O-QUE-ESTAVA-FAZENDO-QUANDO-AS-TORRES-GÊMEAS-CAÍRAM. Eu não estava fazendo nada de interessante, na verdade, se não me engano estava no meio de uma aula de Sintaxe na faculdade e vi a coisa toda pela TV da lanchonete, mas enfim. Meu ex-chefe tem uma história muito melhor.

Conta ele que estava no meio de uma apresentação para futuros clientes (ele é publicitário) quando a secretária o interrompeu e disse que "dois boeings tinham se chocado no World Trade Center." Meu ex-chefe, que nunca foi a pessoa mais normal do mundo, entendeu que "dois boys tinham se jogado do World Trade Center"  e retrucou, bem alto, irritadíssimo pela interrução: "PÔ FULANA, E ME DIZ AÍ QUAL É A RELEVÂNCIA DE DOIS OFFICE BOYS SUICIDAS NO CENÁRIO MUNDIAL?"

A menos que você estivesse lá, duvido que alguém vai aparecer com uma história melhor de 11 de setembro.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

E se fosse...?


Primeiro episódio da série - "E se fosse...?"

Estamos com um problema de infiltração no apartamento. Semana passada a construtora mandou uma engenheira para fazer a vistoria. Ela olhou, constatou que era coisa do ralo do chuveiro, preencheu uma ficha imensa e disse que telefonaria para agendar o reparo. Telefonou e agendou para a semana seguinte (ontem de manhã).

Eu não sei vocês, coleguinhas, mas dentro do meu nível de atividades diárias 11 horas já não é bem mais manhã. Enfim, outro engenheiro apareceu.

"Bom dia senhora, vim fazer a vistoria."

"A vistoria foi feita semana passada, hoje seria o conserto."

"Ah é? Mas me disseram que hoje era a vistoria. Quem fez a vistoria semana passada?"

(Tipos, meu filho, a engenheira veio aqui e preencheu uma ficha enorme. Fez o que com ela, enfiou no cu?)

"Não sei o nome dela, vocês não tem o protocolo da visita?"

"Não."

(Não, senhoras e senhores. Não. Eles constroem prédios de 18 andares mas não guardam uma porra de um protocolo.)

"Então qual é o problema aqui mesmo?"

(Protocolo, gente, protocolo!)

Mostro de novo a infiltração.

"Ah, tá, peraí que eu vou ver se tem um pedreiro de construtora no prédio para fazer o conserto."

Pedreiro apareceu e aparentemente resolveu o problema.

E SE FOSSE PROFESSOR?

"Bom dia, eu vim aqui ensinar o present perfect para vocês."

"Mas a professora ensinou o present perfect para a gente semana passada."

"Ah é? mas me disseram que eu tinha que ensinar o present perfect hoje. E agora, o que eu vou ensinar para vocês?"

"..."

"Peraí que eu vou ver se tem algum professor aqui na escola que saiba o que eu tenho que ensinar hoje, já volto."

E SE FOSSE MÉDICO?

"Bom dia, eu vim aqui fazer sua cirurgia de mudança de sexo, senhor."

"Não, doutor, a mudança de sexo foi semana passada."

"Ah, é, enfermeira? Mas me disseram que hoje era cirurgia de mudança de sexo. Então o que é que eu tenho que operar hoje?"

"..."

"Peraí que eu vou ver se tem algum médico aqui no hospital que saiba o que eu tenho que operar hoje, já volto."

Mas é engenheiro, né? Curso superior, e tals. Tivesse mandado o pedreiro logo na primeira visita já estava tudo resolvido há tempos.