segunda-feira, 25 de maio de 2009

Crônicas da FFLCH (parte 1567)

Quando eu conto as histórias da minha (nem tão) saudosa (assim) FFLCH tem gente que acha que eu exagero. Que não pode existir um lugar tão tosco, desorganizado e cheio de gente esquisita no mundo. Que tudo que eu conto é produto de cinco anos passados "on drugs", sendo que na época da faculdade eu mal bebia. Mas a FFLCH não me desaponta e eis que um amigo meu que ainda frequenta aquela dimensão paralela me conta a seguinte história.
Este meu amigo é jornalista e sabe-se-lá-porque-meu-deos resolveu voltar a estudar há dois anos, indo parar no País das Maravilhas da Faculdade de Letras da USP. Logo no primeiro semestre estabeleceu uma relação que beira a fobia com a famigerada Linguística, causa de desistência de 9 entre 10 drop outs do curso. Obviamente, repetiu a matéria. Este ano, obrigado a encarar o triste fato de que teria que enfrentar o monstro visto que o mesmo é requisito para várias matérias, chegou à conclusão de que não teria condições de encarar Saussurre e Hjelmslev pela segunda vez.
Claro que, em se tratando da FFLCH, isso não foi problema. Meu amigo, sendo um sujeito muito empreendedor, decidiu terceirizar a matéria e simplesmente PAGOU um hippie pobrinho do Crusp, estudante do quarto ano, para fazer a matéria por ele. O garoto assistiu às aulas, assinou a lista com o nome do meu amigo, fez a prova por ele e, adivinhem: passou. Pelo valor equivalente a 50 bandejões mensais (visto ser praticamente esta a moeda do Crusp) meu amigo se livrou da matéria chata mandando outro cara no seu lugar. Imaginem se vira moda.

3 comentários:

  1. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!
    Na boa, pelo que vc conta, o Crusp parece oriundo do Twilight Zone. Mas é só olhar a foto da comunidade no Orkut que a gente logo acredita!!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei da idéia. Minha professora de Linguística repete a mesma coisa 85234 vezes e praticamente está dando o mesmo conteúdo do 1o bimestre até hoje.

    ResponderExcluir
  3. "Se vira moda?" Oh, senhorinha Paula... quão pura e ingênua és. Isso é capim na universidade.

    ResponderExcluir