terça-feira, 15 de setembro de 2009

Estes são meus alunos

Falando durante a aula sobre aparência e clichês afins (enganam? não enganam? importam?) numa turma de empresa, uma aluna conta uma história com a maior cara de corrente repassada por e-mail.

Diz que, numa dinâmica de grupo, o povo todo estava na sala de reuniões esperando o avaliador chegar. Aquela tensão, nêgo nem respira de medo de ser avaliado por isso. A porta da sala se abre e entra a faxineira do escritório empurrando um carrinho com produtos de limpeza. Alguma coisa cai no chão, ela pede ajuda a um candidato e ele, não querendo sujar a roupa, nega. Outra pessoa a ajuda e ela sai da sala. Minutos depois a porta é aberta outra vez e quem entra é a mesma faxineira, mas agora vestida de executiva. Ela era na verdade a diretora de RH da empresa e imediatamente dispensa o candidato que recusara ajuda minutos antes.

Ao ouvir essa história um outro aluno retruca:
"Deus me livre, eu é que não ia querer trabalhar nessa empresa de gente louca, que tem um diretora de RH que se veste de faxineira pra brincar de pegadinha do malandro!"
´
Eu "si" divirto. Muito.

Um comentário:

  1. Essa história é do naipe daquela que Jesus bate na porta e pede comida. Só que essa eu tenho todo direito de achar patética, haha!

    ResponderExcluir