terça-feira, 26 de janeiro de 2010

E o ano começa

Só há uma coisa pior que jargões corporativos. E são jargões corporativos aplicados a ambientes aos quais eles não pertencem. Por exemplo, ao cotidiano escolar.

Esse ano, ao invés de fazer as próprias apresentações de powerpoint ou usar as do ano passado e chamar de "revisão", a diretoria resolveu contratar uma empresa de consultoria para nos entupir com clichês empresariais a manhã inteira. E a empresa não nos decepcionou. Teve muito "querer é poder", "você faz suas escolhas e suas escolhas fazem você", "a união faz a força". Teve frase brega sobre amizade falsamente atribuída ao Chaplin. Teve vídeo motivacional. Teve até sete minutos de "Lord of the Dance" para ilustrar a força da diversidade - sabiam que o Michael Flatley é patrimônio vivo da humanidade? Como eu vivi até hoje sem saber disso?

Teve grupinho de discussão. Teve palestrante visivelmente despreparada ("Dividam-se em primário e ginásio"). Teve professor p da vida ("Desculpe, eu esqueci seu nome." "Eu ainda não disse.")

Só não teve o vídeo do filtro solar. E isso eu acho sinceramente imperdoável.

4 comentários:

  1. Teve metáforas com águias? Nenhuma palestra motivacional pode deixar de comparar m bom profissional a uma águia.

    ResponderExcluir
  2. lord of the dance? por quê???? vc está bem? não surtou? Ande com Rivotril na bolsa. 10 gotinhas.

    ResponderExcluir
  3. E nem teve Simply the Best da Tina Turner tocando no final, enquanto bexigas caem do teto (como já testemunhei)?

    ResponderExcluir
  4. Houve diretor que ano passado ficou desesperado com as transferências para a concorrência. Esbravejava aos professores: "Quais são suas metas para 2010?"

    Metas? Pensei que bastavam os PCN´s e plano de disciplina baseado no planejamento escolar...

    É a escola perdendo o papel e aderindo ao reprodutivismo. Santo Althusser rogai por nós!

    ResponderExcluir