quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Paixão, lágrimas e sangue no quinto ano

A paz entre meu elenco do teatrinho do colégio encontra-se seriamente ameaçada. Ontem durante os ensaios, Paul McCartney cochichou algo no ouvido da apresentadora 1. Esta imediatamente soltou um gritinho típico de menina de dez anos e disse: "Eu tenho que contar isso para a sala inteira! Eu tenho! Eu tenho! Posso?"

Meu Paul McCartney, apesar da pouca idade, já é absurdamente cool. Ele sabe tudo de Rolling Stones (pois é, ironias da vida) e deve ser o único garoto de dez anos no mundo a ter um boné autografado pelo Michael Richards (mais conhecido como Cosmo Kramer, do Seinfeld). Diante do pseudo ataque histérico da colega ele deu os ombros como quem diz "tô nem aí" e continuou decorando seu texto. Apresentadora 1 ficou lá, se coçando inteira: "Teeeeeeeacher, posso ir lá no ensaio do quinto ano?"

Não deixei. Apresentadora 1 anda lutava para pronunciar Paul McCartney corretamente, portanto havia muito trabalho a ser feito. Pouco tempo depois apresentador 2 (que faz dupla jornada e está atuando no Rei Leão também) voltou para minha sala. Apresentadora 1 não se conteve:

"Peeeeeeeeeeedro, o Felipe está namorando a sua musa!"

Silêncio. John Lennon e Ringo Starr se entreolham apreensivos. Old Fred, que só tem seis anos, parecia mais preocupado em dar um nó nos cadarços de George Harrison, que estava distraído com suas falas. Senti uma tensão no ar. Apresentador 2, entretanto, não disse nada. Dirigiu-se até sua marcação no palco e questionou apresentadora 1: "E aí, já consegui falar Paul McCartney direito ou vamos ter que trocar as falas?"

Por ontem foi só, mas não sei não. Sinto que vai rolar sangue nos bastidores de "Yellow Submarine".

Um comentário: