terça-feira, 11 de janeiro de 2011

10/01/2011

Mas a verdade é que eu preciso falar uma coisa sobre ontem.
Foi apavorante. Muito. Até então eu dizia que a coisa mais assustadora que já me aconteceu na vida foi um passeio de banana boat (eu sei, sou uma pessoa de sorte), mas agora tenho uma história nova.
A coisa mais apavorante que já me aconteceu na vida foi levar um jato de leite fervente na cara. Patético, eu sei, mas fazer o que?
Eu nunca fui assaltada por ciganos num trem na República Tcheca, nunca sofri sequestro relâmpago, ninguém na minha família sofreu nenhum acidente grave, nunca tentei escalar uma montanha no meio de uma nevasca, nem me perdi na floresta, enfim.
Vou dizer que na hora eu só conseguia pensar em todas aquelas reportagens do Fantástico sobre acidentes domésticos, gente desfigurada com óleo quente, estas coisas. Eu jogava água fria no rosto e pensava "porra, porra, logo no rosto, porra, que merda." E não conseguia chorar, nem gritar. Era puro medo.
Eu estava sozinha em casa. Mãe a centenas de quilômetros de distância, irmã em Brasília, namorado em Itu. Não tinha ninguém pra me levar ao hospital. Ninguém pra pegar na minha mão e dizer que ia ficar tudo bem. Éramos só nós, eu, meus pensamentos terríveis e a vontade absurda de me teletransportar ao hospital de estar logo perto de alguém que pudesse me garantir que eu não ia me tornar mais uma estatística para o Fantástico.
Só hoje a ficha caiu. Ontem eu tinha que correr, me cuidar, fazer as coisas. Não tive tempo de pensar. Hoje eu tenho. Apesar do que a médica disse, meu rosto está horrível e eu choro a cada dez minutos com a possibilidade de ficar assim. Sinto dor. Mal consigo entrar na cozinha, não tenho coragem de ligar o microondas. Só como coisas frias desde ontem, não quero chegar nem perto do fogão. Não quero que ninguém me veja.
Minha mãe chorou no telefone quando soube e antecipou a volta das férias. Chega hoje. Vai ser bom tê-la por perto.
Sinto que estou mais apavorada hoje que ontem..

3 comentários:

  1. Ai, Paulinha... juro que queria estar aí, segurando sua mão. É meloso e piegas, eu sei, mas eu queria. Vai ficar tudo bem sim, o difícil é ter paciência.
    Tá usando Bepantol? Já devem ter te falado que é ótimo, né? Não compra a genérica não, Bepantol é menos oleosa e espalha melhor. Tem gente que usa até na boca quando resseca. E ó: a gente continua te amando, com peeling ou sem.
    Não se preocupe em voltar a cozinhar, take your time. Afinal, o verão é ótemo pra comer frutas e saladas.
    Precisando de qualquer coisa, avisa.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ai Carlota, obrigada. Ontem eu estava mesmo muito mal, mas hoje melhorei. Fui à dermatologista (a médica do PS era cirurgiã), ela me receitou uma pomada e me disse que, se ficar alguma manchinha escura, dá pra tratar com ácido daqui a um tempo. Senti mais firmeza, porque a médica do PS obviamente não se ligou que a situação era um pouco mais grave, não receitou pomada nem nada. Achou que era queimadura de primeiro grau, mas ontem formaram-se bolhas. Enfim, mãmis voltou, Diego dormiu aqui, estou mais segura.

    ResponderExcluir
  3. Eu ri com o trecho do Fantástico, desculpa. Mas só porque eu sei que vc tá melhor. :)

    ResponderExcluir