segunda-feira, 28 de março de 2011

O evento, a professora e a boate.

Como diz a amiga Bruna, é tudo verdade.

No tempo em que internet banda larga ainda era luxo, lá pelos idos de 2001, eu trabalhava em uma escola de inglês na Vila Mariana. O fim do ano se aproximava e nossa coordenadora resolveu organizar uma confraternização com os alunos.
Uma professora sugeriu um lugar ali perto, segundo ela "um barzinho ajeitadinho que tem uma pista de dança". A grande vantagem é que podia-se ir a pé, da escola, depois das aulas.
A coordenadora achou a idéia boa, mas por via das dúvidas resolveu conhecer o lugar antes de marcar o evento. O que narro a seguir nos foi contado pela própria.

(parênteses: a coordenadora era uma senhora, tiazinha mesmo, cara de professora primária das antigas)

Diz ela que chegou até o local acompanhada do marido por volta das sete da noite. Foi barrada pelo segurança:

"A senhora quer entrar?"

"Quero, claro."

"Mas, minha senhora, isso aqui é uma boate."

"Sei, e...?"

"Minha senhora, BO-A-TE."

Minha ex-chefe esticou o pescoço para tentar dar uma espiada lá dentro. E viu umas moças assim, pouco vestidas, dançando sobre um queijinho.

Quer dizer, a gente por pouco não levou os alunos para confraternizar num puteiro. Fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário