quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Eu confesso

Amiga Bruna Maria está de mudança e, ao chegar na parte de encaixotar os calçados, se questionou de onde teria saído tanto mau gosto. A amiga Bruna Maria, vale ressaltar, já foi um dia a feliz proprietária de uma bota decorada com motivos andinos (não encontrei uma foto mas imaginem um retalho de poncho peruano costurado numa bota de camurça marrom) e de um par das famigeradas botas de rave, mais conhecidas como "quebra pé". Estes tempos passaram, mas diante do desgosto dela com seu armário de sapatos, devo concluir que alguns remanescentes desta época obscura ainda dividem espaço com itens mais aceitos socialmente.
Mas vejam, quem sou eu para falar alguma coisa? Quando o assunto é moda, carrego comigo uma lista de crimes inafiançáveis cometidos em nome de algo que eu equivocadamente chamava de "estilo". E hoje decidi limpar minha consciência e expor aqui minha ficha corrida.
Eu, Cheshire Cat, confesso diante deste tribunal que já usei:


  • Bota branca depois de adulta.
  • Jaqueta de napa combinando com a bota.
  • Moleton do Piu-piu.
  • Top de biscat daqueles que só tem um fiozinho nas costas.
  • Mocassim de bolinha na sola da 775.
  • Cinto fininho rosa bebê combinando com a sandália.
  • Jaqueta jeans com calça jeans.
  • Bolsa de crochê.
  • Calça baggy em 1998.
  • Sandália dourada de amarrar na perna (Globeleza feelings).
 E, por fim, o HORROR! O HORROR!
  • Calça de poliéster.
Podem me declarar culpada e aplicar a punição cabível. Eu mereço. 

3 comentários:

  1. ÓDEO do cinto fininho combinando com a sandália. ÓDEO do mocassim da 775. ÓDEO da jaqueta de napa (era pra ser couro, não?). A bota branca? Está perdoada!

    ResponderExcluir
  2. então...........esse negócio de bota branca, né? Deixa eu te contar, xará: tenho uma bota branca COWBOY. Vc continuará a falar comigo?

    ResponderExcluir
  3. Olha xará, terei que considerar seu histórico de bons serviços prestados, mas ok. Está perdoada.

    ResponderExcluir