segunda-feira, 9 de abril de 2012

Caro 847P

Caro 847P (A.K.A. Terminal Pirituba- Itaim Bibi),

Sei que nosso relacionamento não foi bem o que se pode chamar de longo. Durou exatos 68 dias. Durante estes dois meses nos encontramos todos os dias úteis, pela manhã, nos fins de tarde e, esporadicamente, na hora do almoço. 

Você nunca foi muito pontual, eu sei. Com exceção do das 11:30, era difícil um encontro no qual você comparecesse no horário. Normalmente eu me pegava ali, debaixo do sol, olhando o relógio a cada dois minutos enquanto esperava sua figura verde e reluzente despontar na esquina. Os encontros noturnos, então, eram os mais penosos. Você me deixava lá, no meio da Vila Madalena, em frente a um bar com banquinho e violão (e isso, veja bem, não se faz, 847P) por 20, 30, 40 minutos até aparecer, todo pimpão, como se nada tivesse acontecido. 

Ainda nos encontros noturnos, 847P, por duas vezes você me desapontou e simplesmente não apareceu. Tive que recorrer ao seu colega azul cujo número não fiz questão de memorizar (a gente só chama pelo número quando tem intimidade, você sabe) e ainda trair você usando o metrô. Eu não queria fazer isso, sabe, ainda mais porque o metrô me deixa longe de casa enquanto você me deixa na porta, mas você não me deu alternativa. 

E os encontros matinais, então? Eu era obrigada a dividir você com mais umas 80 pessoas. Ficava espremida ali, entre a porta de saída e os bancos mais altos, tendo minha bolsa arrastada, meu pé pisado, meu orgulho ferido. Entenda, 847P, eu não sou possessiva. Compreendo que você é um só e precisa atender muita gente, mas olha, duas pessoas já andavam realmente ocupando o mesmo espaço no nosso encontro das 7:30. Isso para não mencionar os preciosos minutos perdidos no trânsito da Cerro Corá todas as manhãs, o que vinha me obrigando a antecipar cada dia mais nosso encontro da manhã. 

Eu me cansei, 847P. Percebi que nosso relacionamento estava se tornando cada vez mais difícil. Eu te tratava bem, te dava carinho, chegava no horário mas você não se importava comigo. Decidi ampliar meus horizontes e me valorizar. Pois hoje, meu querido, eu encontrei alguém que se importa comigo. Alguém que me trata bem. Que chega no horário e não me deixa na mão. Alguém que me dá o conforto de uma viagem sentada e que eu não tenho que dividir com tanta gente. Hoje meu coração pertence ao 875C.

Foi bom enquanto durou, 847P. Siga seu caminho, seja feliz e não se engane: o problema é você sim, não eu. 

Com carinho,

Cheshire Cat. 

2 comentários: