segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Aventuras no baixo Augusta

Coleguinha Bruna me contou outro dia que foi a um bar cujo nome não direi mas que fica na Lapa. E o lugar queria fazer o hippie-roots na decoração, com uns bancos de madeira, balcão podrinho, iluminação deficiente, faltava só o chão de terra batida para nêgo se sentir no bar do sô Vicente em São João Batista da Canastra. Mas ao contrário do bar do sô Vicente, onde você pega sua própria cerveja, come porção de torresmo peludo e faz xixi na casa do dono, o lugar servia sushi e Stella Artois long neck. E quando você acha que não dá pra ficar mais hipster do que boteco roots que serve sushi, eis que ela me conta que a trilha sonora do lugar era jazz. Juro.

Lembrei desse lugar porque sábado fui parar em um do mesmo nível com agravante - fica na hipsterlândia, vulgo "Baixo Augusta". Também não vou dizer o nome para não correr o risco de galera vir aqui me xingar, mas só digo uma coisa: bar que só serve long neck. I rest my case. Deveria ter ido embora assim que olhei o cardápio, mas já viu, né? Já estava lá, sentada, com fome e com sede, ok, a gente toma duas, come qualquer coisa e vai para outro lugar. Pega que essa coisa de "toma só duas e vai para outro lugar" não existe na minha vida. Fiquei.

Não é uma questão de pobreza ou pão-durice (ok, é sim), mas vejam: eu gosto de beber. Eu gosto de beber cerveja. Eu gosto de beber muita cerveja e diante deste cenário não dá para sentar em um bar que só serve long neck sem deixar quase 100 reais na saída. E eu não estou podendo, coleguinhas. Decoração tipo "você está num filme do David Lynch", porções pretensiosas e serviço ruim, cheio de garçons descoladinhos que esqueciam meu pedido. Isso sem falar da desgraça de um Mojito com gengibre (Mojito é a coisa mais perfeita que já criaram em termos de drinks, pra quê cagar colocando gengibre?) e rum de quinta que me deu uma dor de cabeça daquelas que dá vontade de ir para a luz no dia seguinte. Fim de carreira. Tipo de lugar que desafia a essência tosca do baixo Augusta.

Da próxima vez vou ao Ibotirama, só digo isso.

2 comentários:

  1. Eu também estabeleci uma política de não ir em bar que só vende long neck e/ou que cobra entrada. Também gosto de beber muita cerveja e não consigo levantar e ir para outro lugar depois que o papo já está embalado, então o melhor é prevenir mesmo e nem sentar. Beber, só em boteco (de verdade, não hipster).

    ResponderExcluir
  2. baixo augusta? cola na minha! hahahahahahahahahahaha

    ResponderExcluir