terça-feira, 18 de junho de 2013

Beijo para a vizinhança

Vocês sabem que meu condomínio é o puro creme do milho e amor no coração, né? Amo todos que moram lá, menos as crianças que berram na minha janela e os comentaristas do Facebook.

Como eu já contei antes, moro no térreo. Morar no térreo, apesar das crianças gritonildas, tem suas vantagens, a saber: um quintalzinho de 2 por 2 e uma vista para o gramado, o que é muito mais agradável do que uma vista para a marginal Tietê. O quintalzinho 2 por 2, aliás, recebeu recentemente uma cobertura daquelas tipo zetaflex.

Pois bem. A colocação da cobertura em si foi uma novela, reunião aqui, discussão ali e no final decidiu-se que não, o quintalzinho NÃO é área comum do condomínio e portanto cada apartamento do térreo poderia colocar a sua da cor que bem entendesse.

Namorado colocou - telhas transparentes com estrutura bege, da cor das paredes. Vizinho de muro colocou também - a dele com estrutura branca. Tudo lindo, todo mundo feliz com a cobertura até que...

Até que um desocupado filho de uma que ronca e fuça tirou lá do apartamento dele uma foto das coberturas lado a lado e foi enchouriçar no facebook - cadê a padronização, virou bagunça, mimimi... Galera comentando revoltada, é, ninguém respeita, que várzea, imagina na copa, aff. E eu me segurando pra não responder educadamente sugerindo ao autor da denúncia que fosse carpir uns bons lotes já que todos nós sabemos que esse sim é o grande mal que assola essa nação - a falta de lote pra carpir. Sei que a revolta do zetaflex não durou muito e logo o tópico da cobertura ficou soterrado debaixo dos pedidos de indicação de faxineira ou reclamações sobre o estacionamento.

Mas eis que essa semana desocupado se empolgou com as manifestações, que lindo, o Brasil acordou, u-hu e resolveu pendurar sua bandeirona na varanda. Recebeu uma belíssima notificação porque, oi, cobertura de cor diferente pode, bandeira na varanda não pode, tá no RI, cabô.

O que uma pessoa civilizada faria? Deixaria a bandeira lá mais uns dois dias só pra atazanar e depois guardaria o lábaro estrelado, certo? Mas claro que essa opção não válida para o desocupado. Desocupado resolvei usar do expediente que todo escroto usa quando é pego fazendo cagada: apontar a ~cagada~ dos outros. Foi lá e desenterrou o assunto do zetaflex.

Tô aqui contando até 10 para não mandar nêgo praquele lugar, sério. Só não faço porque sou fina. E porque o bom senso me diz que não é legal ter inimigos que sabem onde você mora. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário