quarta-feira, 1 de julho de 2015

Desabafinho

Uma mãe apareceu aqui na escola com as duas filhas gêmeas para fazer teste de nível. As meninas tem 9 anos e só estudaram inglês na escola mesmo, nunca fizeram curso. Conversei com cada uma individualmente, uma sabia algumas coisas a mais que a outra mas nada gritante. As duas muito fofas e espertinhas. Coloquei as duas no nível 1 porque abordagem de escola de idiomas é diferente, costuma ser mais puxada que a de colégio, e tal. Disse exatamente isso para a mãe que foi embora sem nem querer falar com o divulgador do curso.

Pois a mulher ligou aqui hoje alterada dizendo que as meninas "CLARAMENTE TEM UM NÍVEL DIFERENTE E QUE ESSE COORDENADORA AÍ ESTÁ QUERENDO PUXAR UMA PARA BAIXO PARA PAGAR UM SEMESTRE A MAIS DE CURSO." E que ela estava decidida a matricular as meninas aqui mas depois da falta de profissionalismo dessa coordenadora aí (no caso euzinha) ela vai repensar.

É bem chato ter que lidar com gente que acha que sabe fazer uma coisa que eu estou aí fazendo há o quê? Quinze anos. Ter que lidar com mãe super controladora e com mania de perseguição que achou por bem me esculachar de graça sem nem ter conversado comigo, questionado a avaliação. Eu sei que é parte do meu trabalho lidar com gente louca, mas quando gente louca questiona minha competência é mais puxado. Me deixa mal.

Nessas horas eu sempre lembro de uma colega minha que dizia que o sonho dela era dar aula numa escola de órfãos - porque as crianças são incríveis, os pais é que estragam tudo.

Um comentário:

  1. Com certeza. Os país de hoje pensam que por darem do bom e melhor aos filhos estão dando amor,carinho e educação. Não é bem assim .

    ResponderExcluir