terça-feira, 21 de julho de 2015

Sobre como a Bela Gil talvez não esteja querendo acabar com o bacon do mundo

Primeiro foi a melancia grelhada. Depois veio a lancheira da filha e agora a cúrcuma para escovar os dentes. Bela Gil tá aí mostrando para a galera que o jeito Humanas de ser tem espaço no mundo e em rede nacional.

Eu curto a Bela Gil. Eu acho sim que ela as vezes exagera e quase sempre usa uns ingredientes que eu não vou encontrar no Mercadão da Lapa (e se não tem no Mercadão da Lapa não existe, desculpa) tipo "feno-germinado-vermelho-do-Cazaquistão", mas ela pra mim representa uma coisa que eu venho buscando faz tempo: pensar no que eu como e parar de simplesmente colocar dentro do meu corpo coisas que podem fazer mal pra ele de alguma forma.

Mas esse texto não é pra falar dessa minha jornada em busca da alimentação saudável porque eu mal a comecei. É pra falar de como as pessoas reagem à Bela Gil.

As pessoas reagem com raiva a ela. Não só a ela, mas a qualquer um que ouse questionar o sagrado direito ao bacon. E eu, nessa minha caminhada naturebinha, começo a entender por quê.

Eu vejo aqui no trabalho, por exemplo. O pessoal sabe que eu evito açúcar, como fruta de sobremesa e não divido o requeijão da galera, prefiro minhas pastinhas vegetais. A reação imediata de quase todo mundo então é ficar constrangido de comer na minha frente. É de quase pedir desculpa quando abre um pacote de bolacha recheada. As pessoas pressupõe que quem optou por uma alimentação diferente vai imediatamente começar a cagar regra para a humanidade, mas deixa eu contar um coisa: eu não virei testemunha de Jeová, amiguinho. Eu não vou bater na sua porta confiscando seu queijo, não vou fazer cara de nojo diante da sua coxinha, não vou julgar sua lasanha congelada. Eu estou fazendo escolhas para mim e só para mim.

A Bela Gil tem um programa de TV e obviamente está dialogando com muita gente. Mas você, amiguinho que come carne e fritura, não precisa ter raiva dela. Ela não está falando diretamente com você. Ela fala com quem está disposto a ouvir. Se a lancheira da filha de uma apresentadora de televisão te ofende e te irrita, o problema talvez seja seu, não dela. Porque até onde eu sei a Bela Gil não anda por aí invadindo escolas no meio do recreio confiscando os cheetos da molecada e trocando por granola caseira, né?

Então sossega, galera. It's not about you. E a Bela Gil sozinha não tem como acabar com o bacon do mundo. Podem relaxar.


Um comentário:

  1. Na minha realidade, vc é uma exceção. Só conheço natureba testemunha de Jeová.

    ResponderExcluir