quarta-feira, 30 de março de 2016

Um post por dia - Dia 1

Roubaram os cabos de energia aqui da rua da escola e ficamos sem eletricidade desde as sete da manhã. Voltou agora, seis da tarde. Passamos o dia num calor absurdo, dispensando alunos e sem absolutamente nada para fazer. Tecnologia é mesmo uma coisa maravilhosa, mas só quando funciona. Como eu estou sem computador em casa, quase que esse post não sai, mas vamos lá.

Como é que alguém rouba um cabo de energia, coleguinhas?
Como é que um cara sobre num poste de madrugada com um alicate, corta um cabo e sai com ele por aí, enrolado debaixo do braço? (porque estou supondo que um ladrão que rouba cabos de energia não tem carro, né?)
Como é que um cara faz isso e não toma um choque?
Por que um cabo de energia se tem tanta coisa mais discreta e segura por aí pra se roubar?

São muitas perguntas sem resposta. Só sei que nessa brincadeira lembrei de um programa que eu estava assistindo no History Channel esses dias sobre uns caras que vivem de vender metais que eles encontram nos lugares mais estranhos. Por exemplo, um deles ouviu falar que painéis solares contém prata. Só que o cara não faz um pesquisa decente pra ver quanto de prata tem, como faz pra remover a prata, se vale a pena. Nããão. Ele só vai lá e gasta 1000 dólares em painéis solares quebrados para depois descobrir que ia precisar gastar mais 1000 para remover a prata deles. E no final ele vende a prata removida por 600 dólares ou seja: negocião. Os outros dois do programa pelo menos conseguiram fazer um dinheiro, um com ouro retirado de adereços de caixões (ele teve que comprar o caixão inteiro) e outro com prata de fluido de revelação de radiografias dentárias (seja lá o que for isso).

Ainda bem que existe o History Channel para mostrar pra gente que as pessoas, elas podem ser fascinantes. No próximo episódio eles podem entrevistar os ladrões de fio de cobre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário