quarta-feira, 20 de abril de 2016

Um post por dia - Dia 22

Vou falar do "bela, recatada e do lar"? Vou falar sim, desculpa. Tem um post por dia pra eu fazer por aqui, uma hora eu ia ter que mexer num vespeiro qualquer.

Meus alunos de sábado (os fofinhos que não sabiam o que era flog) tiveram que organizar um debate sobre os prós e contras da internet. E nos contras um deles lembrou: na internet a gente pode passar anos, a vida toda, tendo acesso só ao que a gente quer ver e não ao que a gente precisa ver. E isso explica uma meia dúzia que apareceu no meu facebook hoje indignado com a zoeira em cima do "bela, recata e do lar".

"Mimimi dur... dur... que que tem a Marcela Temer ser bela, recatada e do lar... dur... dur... feminista não é a favor de escolhas... dur.. dur..." (dá uma babadinha)

Taí um exemplo maravilhoso de pessoa que passa a vida inteira vendo só o que ela quer e não o que precisa.

Amigo, Marcela Temer pode ser belíssima, recatadíssima e super ultra mega blaster do lar. Pode usar saia no joelho, cabelo preso, ir à missa. A gente não tem problema nenhum com isso, desde que sejam escolhas dela e aí a gente nem tem como saber se são.

O problema, querido comentarista de portal, é que a gente AINDA vive em uma sociedade em que só as belas, recatadas e do lar são respeitadas. A gente ainda tem que ouvir por aí que "se deu no primeiro encontro é vagabunda", "se usa saia curta não presta" e etc e etc.

Pode ser recatada? Pode.
Pode dar pra todo mundo? Pode também
Pode dar pra um só? Opa, lógico que pode.

Pode cozinhar, bordar, costurar, lavar, passar. Pode não fazer nada disso. Pode ter 10 filhos, pode ser mãe de gato, de cachorro, de ninguém.

Vou repetir agora em caps lock pra ver se os comentaristas de portal entendem:

TÁ LIBERADO SER BELA, RECATADA E DO LAR, SEUS LINDO, SÓ NÃO TÁ LIBERADO DESVALORIZAR A MULHER QUE NÃO É.

Beijos de luz


Bela, recatada e do lar

Nenhum comentário:

Postar um comentário