quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Notícias de Elza

Eu relutei em escrever esse texto porque admitir o fracasso nunca é legal, mas as vezes é necessário.

Não deu certo. Elza e Peppa não se acertaram, não teve Feliway, nem floral, nem técnicas mil que dessem jeito. Peppa vivia escondida com medo de ser atacada, não comia, não bebia água. Vomitava. Elza não entendia porque havia partes do apartamento nas quais ela não podia entrar. Miava, reclamava. As duas estavam tristes, estressadas.

Levei Elza para minha mãe. Minha mãe mora numa casa grande, com um quintal imenso cheio de folhinhas e pedrinhas e lugares para Elza pular e se esconder. Cuidamos de cortar as rotas de fuga e agora ela está lá. Está feliz e adaptada, só falta cavar um lugarzinho na cama da vovó (por enquanto serve o cobertor de onça devidamente colocado na cadeira da cozinha). Peppa também voltou à rotina. Demorou um pouco para perceber que a casa estava segura de novo e que ela não seria atacada pela frajola intrusa.

Eu fiz o que pude pela frajolinha - dei amor, dei comida, dei cuidado e agora providenciei um lar amoroso pra ela. Morro de saudade, mas fico tranquila sabendo que ela está bem cuidada, gordinha e feliz.

Refestelada no quintal da vovó

4 comentários:

  1. Quanto tempo Elza ficou com você? Eu já tinha o Bento quando encontrei o Aparecido e levou pouco mais de 1 ano pra eles se acertarem (ou chegarem perto disso). Bento subia no telhado e só descia pra comer. Não aceitava dividir o comedouro nem a caixa de areia. Mas como eu não tinha pra quem dar o Aparecido (e nem confiava porque ele vivia doente), fui mantendo a situação. Leva tempo e requer muita paciência, mas uma hora os gatinhos se acertam! Que bom que Elza está bem na casa da vovó!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu tenho cá comigo que poderia sim ter insistido mais um pouco. Se eu não tivesse minha mãe certamente teria ficado com ela independente de qualquer coisa. Só que aconteceu tudo muito de repente, a gente no meio de uma mudança, sem conseguir dar direito um espaço pra cada uma. E eu via elas tristes, sabe? Cortou meu coração.

      Excluir
  2. Que pena que nao deu certo... =(

    Mas eh assim mesmo... Gatos sao como pessoas, nao se dao com todo mundo da especie. Ainda bem que ambas estao felizes.

    ResponderExcluir
  3. A minha irmã teve durante uns 7 anos duas gatas que se odiavam, até que a mais velha morreu. Era bem estressante, elas até ficavam no mesmo ambiente, mas se você colocasse a mão na mais nova e passasse na outra, ela atacava. Mas até hoje a mais nova, que já é velhinha agora, é meio medrosa. Ela se impõe se precisar, mas acaba ficando escondida, quando tem opção. Então é isso aí, às vezes não dá certo mesmo, gato tem muita personalidade. Sorte sua que você tinha a quem recorrer.

    ResponderExcluir