segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Pra você que não gosta de Pokémon

- Crianças autistas que não saíam de casa há anos estão saindo e interagindo com outras crianças para caçar pokémons.

- Está rolando uma campanha para que as pessoas coloquem lure (um trocinho que atrai pokémons) em hospitais infantis e centros de doação de sangue. Assim as crianças internadas não precisam andar muito para caçar as bichinhos e talvez pessoas caçando perto dos hemocentros decidam entrar e doar sangue.

- Os pokéstops (lugares onde os jogadores podem conseguir mais bolas para caçar os pokémons) ficam em lugares públicos como igrejas, esculturas, arte urbana, pontos de interesse. Dá para fazer um tour pelos grafites da Vila Madalena seguindo os pokéstops e sábado eu descobri que existe um ~coreto mal assombrado~ no bairro de uma amiga minha.

- As pessoas estão andando, se exercitando atrás dos pokémons. Um conhecido meu, super sedentário, contou que andou 5 km outro dia. Se exercitar atrás de pokémons não me parece muito diferente de andar na esteira da academia assistindo ao Datena. Na verdade é diferente sim, é bem mais divertido.

- O Pokémon Go utiliza uma tecnologia chamada realidade aumentada: por enquanto ela é usada prioritariamente em jogos (vários, não só o Pokémon Go) mas já existem aplicativos que usam a realidade aumentada para observar estrelas, em guias turísticos e até para ajudar daltônicos a enxergar as cores com mais precisão. Além disso, há estudos sobre como utilizar essa tecnologia na medicina, engenharia e controle de tráfego aéreo, além de outras áreas, especialmente a educação.

- Eu trabalho, cuido de uma casa e duas gatas. Saio com meus amigos, converso com minha família, estudo, assisto minha séries. E jogo pokémon. Uma coisa não exclui automaticamente as outras não.

- Se você postou isso recentemente, tenho más notícias para você


A primeira é que não existe indício absolutamente nenhum de que essa frase é do Einstein. Einstein era um cientista, cientistas são curiosos e buscam novidades - grandes chances de que ele estaria curtindo uma tecnologia que tem mostrado que pode ser útil em várias áreas do conhecimento humano. A segunda é que a tecnologia facilita a interação e traz conhecimento, não contrário. Você pode usar o instagram para conhecer lugares novos, aprender receitas, ter dicas de moda e exercícios, mas se você só segue gente que posta selfie a culpa é sua, não da tecnologia.  A terceira é que reclamar de gente grudada no pokémon enquanto está grudado no facebook, no candy crush ou no snapchat não faz muito sentido, né?

- Pra terminar: não estou tentando convencer ninguém a gostar. Você pode detestar, achar idiota, não querer falar sobre isso. Mas não vale ter raiva de quem curte, achar babaca quem joga. E não custa nada se informar um pouquinho - lembrem-se: pessoas inteligentes são aquelas que estão abertas a se informar e a aprender. E pokémon go é legal sim, desculpa.



Um comentário: