terça-feira, 2 de agosto de 2016

Projeto casas - Edifício Cidinha

Previously on "Projeto Casas": Abracei a bad, a bad me abraçou e eu passava tardes ouvindo life for rent da Dido e chorando. Decidi largar tudo e voltar pra perto da família.

Minha mãe ainda morava em Boituva, mas minha irmã tinha se mudado para Sorocaba, uma cidade de cerca de 600 mil habitantes, a uma hora de São Paulo. Ela estudava direito numa faculdade particular da cidade, eu tinha só mais uma matéria para cumprir na USP: embarquei nessa doideira de mudar de emprego, de cidade, de vida em uma semana e fui morar no edifício Cidinha.

O edifício Cidinha é um predinho de 3 andares que fica numa avenida movimentada, perto da rodoviária em Sorocaba. Era velhinho mas tinha TV a cabo (um luxo naquele 2004), 3 quartos, muitos armários embutidos, 4 mulheres e um gato. Eu e minha irmã ficávamos cada uma em um quarto e as outras duas meninas dividiam o terceiro. O prédio não tinha porteiro nem portão automático, então perdemos as contas de quantas vezes atiramos as chaves pela janela para as visitas subirem.

Morei lá só seis meses, mas foram seis meses de muita festa, muito bar, muito mulher enfiada no corsinha 98 da minha irmã cantando Roupa Nova, almoços de domingo disputadíssimos e muito, muito amor, que era tudo que eu estava precisando naquele momento.

O Cidinha era aquele coração de mãe que recebia todo mundo que estava longe da família por algum motivo e ele me deu amigos para a vida toda (sem nomes, you know who you are!) Muita gente tem histórias de lá. Como eu compartilho meus posts no facebook, espero que alguns amigos leiam e venham aqui dividir as deles.

Quem já ficou bêbado no Cidinha, manifeste-se por favor!


Teve festa de aniversário surpresa no Cidinha? Teve sim senhor


Todo mundo tão lindo, tão xófem. Aquele poster do Picasso lá atrás aguentou nem sei quantas mudanças e existe até hoje 

Nenhum comentário:

Postar um comentário