quarta-feira, 8 de março de 2017

As mulheres da minha vida

Tem quatro mulheres nessa foto. Uma está escondidinha na barriga da minha irmã, chama Cecília e vai conhecer esse mundão em Junho (geminiana, help).

Quando minha irmã foi pega de surpresa por essa gravidez (descoberta uma semana depois da chegada da Amanda, imaginem o desespero) eu desejei secretamente desde o início que fosse uma menina. Claro que que a gente vai amar anyway, etc mas nós, mulheres Foltran Borges, sabemos criar mulheres. E quando eu soube que era Cecília, e não Caio, que crescia naquela barriga, rolou um alívio sim, não vou mentir pros senhores.

Minha mãe saiu de casa aos 18 anos com um diploma de ensino médio e uma passagem de trem nas mãos. A cidadezinha de 30 mil habitantes a 100 quilômetros de São Paulo era claramente pequena pra ela. Já trabalhava desde muito cedo, a penúltima de 9 irmãos, criados pela minha avó sozinha, que tinha ficado viúva muito jovem.

Minha mãe também ficou viúva jovem, 40 e poucos anos, duas adolescentes tristes e confusas pra cuidar. Trabalhou muito, dormiu pouco, construiu uma casa sozinha (não levantou parede, mas cês entenderam) e mandou nós duas pra faculdade. A gente também ralou, acordou cedo, pegou ônibus de madrugada. Valeu muito a pena. A Paula de 38 anos está exatamente onde a Paula de 18 anos gostaria que ela estivesse. Independente, pagando as próprias contas, viajando, fazendo o que gosta, se amando. A Paula de 18 anos já sabia que não queria casar nem ter filhos. A Paula de 18 anos no meio do caminho esqueceu disso um pouco, mas já tinha aprendido que não precisava de homem pra nada. As mulheres Foltran Borges nunca precisaram.

Eu detesto quando, principalmente no dia de hoje, se referem a nós mulheres como "guerreiras". A gente leva tanto chumbo de tudo quanto é lado desde que nasce que a gente não tem escolha. A gente luta porque é o único jeito. E vamos continuar lutando pra que quem sabe um dia a Amanda e a Cecília, ou as filhas, ou as netas delas possam viver num mundo mais justo.

Amo vocês.


Um comentário:

  1. "A gente leva tanto chumbo de tudo quanto é lado desde que nasce que a gente não tem escolha" ♥

    ResponderExcluir