quarta-feira, 19 de abril de 2017

As aventuras de tia Paula solteira

Pra vocês verem né:

Conheci o boy no tinder e a gente foi conversando. Barbudo, alto, gordinho, mora perto. Meu número. A gente se viu uma vez, tomamos um café, demos uns beijinhos, tudo como manda o figurino, mas daí não batia de nos encontrarmos. Ele tem uma filha adolescente que mora com ele, difícil sair a noite, depois fui viajar duas semanas, minha mãe ficou lá em casa, enfim.
Eu já tinha reparado que o barbudinho fazia a linha carente, seja por ser mesmo ou por achar que mulher curte, enfim. Era um tal de bom dia minha vida, boa noite meu amor de uma cara que eu tinha beijado uma vez que estava incomodando.

Daí a gente combinou de se encontrar de novo. E ele não deu sinal de vida. Não atendeu celular, não respondeu mensagem. Mandou whatsapp meia noite como se nada tivesse acontecido perguntando se eu estava acordada. Fiquei putaça, mandei à merda, ele sumiu 4 dias. Daí tentou de novo e como eu não tarra fazendo nada e ele era mesmo bem gatinho resolvi dar corda. Só que naquele dia eu não podia. E deixei claro bem cedo que não podia, não dei o cano nele como ele tinha feito comigo.

Ele?

Ficou bravinho e disse que eu seeeempre tinha alguma coisa mais importante pra fazer do que ver ele. E começou a mandar mensagem de cinco em cinco minutos cobrando que eu não respondia.

38 anos na cara, macaca véia né?

Bloqueei. Não quis nem argumentar porque o alarme de barca furada estava não apenas apitando, estava berrando "SAI DESSA MINHA FILHA QUE ESSE BOY É TRETA"

Mas daí vocês veem como ser mulher é uma merda. No começo das nossas conversas ele me mandou uma foto que tinha tirado durante uma corrida matinal e eu comentei que trabalhava na frente daquela praça, que coincidência. Bloqueei o boy treta e ele sabia onde eu trabalhava. E o medo?

"Ah, mas tem mulher louca que vai fazer escândalo no trabalho dos ómi também"

Deve ter, né? Mas nenhuma ameaça a integridade física do cara, no máximo vai arranhar o carro dele. Já um cara de 1,85 e 100 quilos que eu nem conheço direito mas deu sinais de ser meio descompensadinho pode me ameaçar sim. E muito. E por nada, só por achar que "tem direito".

Tô nova nessa coisa de solteirice mas já aprendi uma lição: só digo pro boy onde eu trabalho depois de ele conhecer minha mãe.


Sai macho

5 comentários:

  1. Se vocês não tivessem se conhecido no Tinder eu apostaria dinheiro que ele já tem namorada (sumiço repentino com aparecimento súbito perto da madrugada, não poder sair à noite, querer a todo custo que você vá encontrá-lo no momento em que ELE está disponível etc). já fugiu tarde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cogitei isso, claro, mas ele tava lá dando a cara a tapa no tinder, né, se tiver namorada é muito sem noção (o que é totalmente plausível já que ómi: tudo sem noção mesmo)

      Excluir
    2. Eu já vi no tinder o perfil de um cara dizendo que era casado... achei esse tinder bem tosqueira. Conheci meu namorado no Happn, achei bem legal! Depois de 13 anos sem namorar ninguém, encontrei o potencial love of my life num app de paqueras hahahaha

      Excluir
  2. Você agiu certo! Pena que só dá pra bloquear as pessoas na Internet e no celular, né?

    ResponderExcluir
  3. Até a frase "SAI DESSA MINHA FILHA QUE ESSE BOY É TRETA" eu tava rindo, afinal, quem nunca né #dedopodre

    Depois, não teve graça nenhuma. É foda ser mulher nesse continente machista.

    ResponderExcluir